Sonho ou a Ilusão Americana?

O poderoso e destrutivo marketing que viciou milhares de pessoas.

A América se tornou uma nação de viciados, vivemos numa cultura consumistas e de reparos rápidos, de amores líquidos, onde a vida boa está na distância de uma compra, seja num carro, num iphone, ou num novo remédio, todos os problemas podem ser resolvidos com um produto incrível, ou uma droga destruidora. Um marketing poderoso!!!  Isto é algo que a indústria farmacêutica americana explorou muito bem e com efeitos desastrosos. Fomos e somos constantemente bombardeados com imagens e estilos de vidas inalcançáveis e habitados por pessoas que sorriem sempre, que parecem não ter problemas, mas o mundo real é cheio de problemas e ninguém nunca nos disse o que fazer com ele, ninguém nunca nos disse que faz parte da vida, que eles vem e vão assim como os dias bons.

A mensagem que recebemos da mídia e da cultura é que tudo deve ser ótimo e perfeito e então quando não conseguimos nos tornamos desconfortáveis, impotentes e  incapazes. Fomos treinados a nunca ficar tristes e sofrer decepções e se isso acontecer temos uma droga ao nosso alcance que resolve isso rápido.

A dependência da droga é tanta que é usada para conter e oprimir sentimentos puros e verdadeiros entre namorados, simplesmente porque a pessoa não busca o dinheiro com a mesma intensidade que nós.

Nos ensinaram que não podemos ser comum, que devemos ser super heróis, super estrelas, super personalidade, super profissionais, sempre temos que superar a nós e ao outro, como se fossemos máquinas. Não descansamos nunca, somente competimos. Essa meta alta de vida que traçaram para nós nos faz escravos de drogas legais, doentes e viciados.

Deixamos nossos verdadeiros sonhos para atrás, nossa vida, família, filhos, felicidade mais plena e completa que existe para buscar um sonho irreal que indústria farmacêutica nos impôs. Nossos sonhos comuns são oprimidos para atingir essa meta ridícula. Abrimo mão daquilo que nos faz bem para satisfazer uma indústria destrutiva e maléfica. A família também é um sonho, uma realização e traz muita felicidade. Ter uma família  e tempo para ela é ter sucesso também, é ser herói de seus filhos. E não precisa de dinheiro para ser super herói de seu filho, apenas precisa ser pai.

A verdade que é ser comum não tem nada de errado, que ter dias ruins faz parte do cotidiano. Eles acontecem para que busquemos mais as pessoas, nestes dias não precisamos ficar sozinho e nem tomar remédios, mas sim compartilhar com pessoas que nos querem bem e talvez descobrir que isso é normal, você não é único que passa por isso. Ser comum não nos impede de lutar por nosso país, e ainda nos permite realizar sonhos que aparentam ser comuns, mas que são os mais plenos e abençoados como o de ter um filho. Felicidade única e incomparável.

Não nos ensinaram a ser feliz com o que temos e com o que somos, mas somente com o que podemos adquirir esse é o maior e mais forte marketing para se vender drogas e ele realmente atingiu todos os lares americanos. Foi o marketing do mal, o marketing que destruiu sonhos e famílias. O marketing que controla nossa vida.

Passamos a competir tanto e buscar tanto o sonho americanos (dinheiro) que esquecemos que nossos super heróis são pessoas comuns como nossos pais, filhos, amigos e vizinhos. Buscamos com tanta intensidade a felicidade no dinheiro, nas viagens e no sucesso que não enxergamos que ela está tão perto, do nosso lado e as vezes dentro de nós. Nos ensinaram a usar drogas, mas não nos ensinaram a lidar com o vazio que fica nesta vida frustrada onde o sonho precisou ser enterrado para tentar possuir mais dinheiro que o meu colega. Como se a única felicidade que existe está em possuir coisas e pessoas não significam nada, elas simplesmente podem ser substituídas e esquecidas com drogas se não possuem dinheiro ou o mesmo foco nosso na busca dele. Ficamos tão chapados que não percebemos a que alegria e felicidade está nas coisas comuns, nas pessoas comuns que nos cercam e que nos amam. Desejo que você desperte deste sonho idiota, que você use um pouco do seu dinheiro para se livrar do vício destas drogas, antes que você morra chapado sem ter a optado por escolher ser feliz…

____________________________________________________________________________________

“Algumas pessoas são tão pobres que a única coisa que elas tem para oferecer é dinheiro.”

Escrevi isso como repúdio a essa cultura escrava do dinheiro e da droga, onde eu presenciei um Norte americano abrir mão de uma vida, de ter uma família, de ter um filho que era seu sonho e de um grande amor por medo de ter que dividir sua fortuna com quem seria sua futura esposa. Como se não houvessem leis que os protegessem de casamentos por interesse, como se não houvessem pessoas de caráter, como se não existissem mais pessoas que podem amar além do interesse no dinheiro, como se não houvessem mais amor pelo ser humano e sim somente ao dinheiro. Ela dividiu o pouco que tinha com ele, (mesmo ele tendo muito), ele usou o dinheiro dela e quando acabou, para não gastar da sua fortuna ele simplesmente tomou remédios e se foi com sua fortuna, como se pessoas fossem objetos e que sem dinheiro não servem mais. N a minha cultura, um tem ajuda o outro, quando ambos não tem os dois trabalham juntos, mas quando um homem tem e ficar nas costas de uma mulher é covardia. Minha oração é que ele pense sobre isso e que conclua que vale a pena gastar um pouco da sua fortuna para se curar do vício da droga e da ganância.


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s